Presidente do CSA detona Argel por acusações 'grotescas', explica saída e diz: 'Coisa de marido traído'

Garotão Setembro 23, 2020

Do ESPN.com.br, por Jean Santos e Luciano Borges

Presidente do CSA, Rafael Tenório detalhou como se deu a saída de Argel Fuchs, que durou 18 dias no comando técnico e partiu atirando contra o novo executivo de futebol do clube alagoano, Rodrigo Pastana, o qual chamou, entre outras coisas, de "vagabundo" e "pilantra".

O mandatário nordestino explicou que, diferentemente do que tenta passar o treinador, o desligamento não se deu apenas por conta da chegada do dirigente, mas por uma série de coisas, passando pelos péssimos resultados [só um ponto ganho em 12 disputados na Série B] e principalmente pelo comportamento do gaúcho de 46 anos.

"O cara não pode sair acusando as pessoas, mesmo que seja verdade, ninguém tem o direito de fazer isto, eu achei muito falta de ética, muito grotesco, muito ofensivo. Tem que ter paciência, o cara tem família, né", começou Tenório em entrevista ao ESPN.com.br.

"Coisa de marido traído, quando sai, sai [falando] um monte de porcaria, eu, honestamente, achei muito grosseiro, muito pesado, né, fora de ética, não se deve partir para este tipo de acusação, muito grave, a pessoa tem família", continuou.

Na noite de domingo (20), uma série de áudios gravados por Argel com ataques a Rodrigo Pastana, com o qual já havia trabalhado por um período no Coritiba, começou a circular nas redes sociais.

"Eu venho aqui comunicar a vocês que eu não faço mais parte da equipe do CSA porque eu não trabalho com vagabundo, pilantra, com sem vergonha, safado, com um diretor executivo que leva dinheiro do jogador, leva dinheiro do empresário e faz esquema com eles", atacou o técnico.

Além de detonar as afirmações de Argel, Tenório contou nos mínimos detalhes como foi a meteórica passagem e por que houve a saída do treinador.

"Chutando o balde"

"Quando o Argel soube que ele [Rodrigo Pastana] poderia vir, e o Argel é muito impulsivo, ele após o jogo com o Cuiabá [derrota por 2 a 1 em casa, em 16 de setembro, em jogo adiado da terceira rodada da Série B] já saiu chutando o balde, que o time estava mal fisicamente, que o time era pau, que não sei o que e tal...

E isto tudo repercute mal, né, porque tem uma equipe trabalhando por trás, e ele já saiu atirando mesmo porque o time perdeu e não tinha precisão disso. Aquilo já criou um desconforto muito grande com os jogadores, logo em seguida, quando ele perdeu para o Cuiabá, já saiu atirando pedra. Quando ele tomou a informação que o Pastana vinha, pronto, aí ele já soltou os cachorros, mandou um áudio, e aí eu falei 'não dá mais para continuar nesta situação.'"

"Clima muito negativo"

"Quando terminou o jogo com o Cuiabá, que nós perdemos o jogo aqui em Maceió, time foi mal e tal, ele deu uma coletiva, na coletiva ele falou muito, que o time estava sem preparo físico, que o time estava morto, que era isto, que era aquilo e se indispôs, ele andou afastando aqui uns jogadores por nada, então, ele criou um clima muito negativo no grupo.

E depois das declarações dele, ele afetou outros setores, né, porque não é só o preparador físico, tem a nutricionista, tem os fisioterapeutas, tem aquela equipe toda por trás, então, diante das declarações dele, já ficou inviável."

"Fique à vontade"

"Quando começou a vazar a notícia que o Pastana podia vir para ser o executivo, aí juntou-se uma coisa com a outra. Quando o grupo foi falar com ele, ele falou 'não, eu já vou sair mesmo porque se eu soubesse que era ele [Pastana], eu já tinha saído antes'. Aí, eu falei, então, fique à vontade... Ele pediu para sair, e lógico que a gente já não estava satisfeito com as declarações dele, aí juntou tudo, agora vamos sentar para resolver questão financeira, essas coisas."

Ódio da torcida e "pecado capital"

"É complicado, porque quando eu trouxe o Argel, 70% da torcida o odeia... Quando ele saiu [da outra vez que comandou o clube], ele saiu falando que ia para um passo maior. A m... foi porque eu convidei ele de volta, então isso aí foi um erro, um pecado capital meu.

Porque a torcida não queria, e eu falei pra ele 'olha, de cada dez azulinos, sete lhe odeiam, então, é hora de você se redimir, fazer um bom trabalho e depois você pedir desculpas'. E ele veio para as rádios, para a mídia dizer que tinha errado, que foi infeliz e tal, aí vai agora e ele faz outra merda dessa, saiu ofendendo a pessoa que está chegando, não é legal isto pra ele, para a carreira profissional dele."

[...]

Argel Fuchs no CSA

- Anunciado em 31 de agosto
- Estreia em 2 de setembro com derrota por 2 a 1 para o América-MG
- Nos outros três jogos: 5/set, CSA 1 x 1 Confiança-SE, 13/set, Oeste 2 x 1 CSA e 16/set, CSA 1 x 2 Cuiabá
- Pontos disputados: 12; pontos ganhos: 1
- Aproveitamento: 8,33%
- Deixou o clube em 18 de setembro

Compartilhar